Noslen olebaR literatura, poesia, crônica e contos

Insisto em escrever porque é fazendo que se aprende.

Poesia por acaso

Sem inspiração estou agora.

Tento atiçar a imaginação mas ela demora.

Não consigo pensar em algo que faça rimas.

É como querer acertar o alvo com a flecha apontada para cima.

Não acho um bom assunto que se organize bem em versos.

Mesmo sabendo que no mundo há mil assuntos diversos.

Que coisa chata, não consigo imaginar.

Isso quase me mata, porque é horrível não poder pensar.

Mas espere um momento, mesmo não tendo um tema, se estas frases vou relendo, vejo que é um poema!

Clarice Pacheco.

Textos

O QUE SIGNIFICA JUGO DESIGUAL?
Aprenda essa expressão bíblica

Muitas pessoas têm dúvidas a respeito do real significado da expressão jugo desigual, que aparece na Bíblia. Muita confusão é feita a respeito dessa palavra e muitas mulheres ficam de cabelo em pé, pois alguns homens usam essa expressão para trazer para si um suposto direito de mandar nas mulheres como se elas fossem suas escravas e não pudessem sequer questioná-los. Essa expressão foi traduzida do grego para o português dessa forma no versículo de;

2 Coríntios 6:14 – Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?

Sabemos que nenhum mandamento de Deus seria ruim para o ser humano ou lhe causaria qualquer opressão, pois os mandamentos de Deus são vida. Dessa forma, vamos avaliar o que Deus quis comunicar com esse versículo:

O que significa jugo desigual?

Começaremos nossa análise avaliando sobre o que o apóstolo Paulo está falando nesse versículo. Fica bastante claro observando o contexto, que a fala de Paulo é sobre “sociedade”, “comunhão”, “harmonia”, “união” e “ligação” entre servos de Deus e pessoas incrédulas;

2 Coríntios 6:14 – 18;

14 - Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?
15 - E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?
16 - E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.
17 - Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo,E eu vos receberei;
18 - E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.

Todas essas palavras reforçam o pensamento de que o crente deve avaliar com muito cuidado seus laços de relacionamentos e negócios com incrédulos.

A expressão de origem grega, foi traduzida para o português como jugo desigual. No grego a expressão aponta para alguém que tem um relacionamento desigual ou que tem comunhão com alguém que não é semelhante. No português a palavra “jugo” aponta para uma “canga ou junta de bois” (conforme dicionário), que era um objeto que unia dois bois para que andassem no mesmo compasso, enquanto puxavam o carro de boi. Um exemplo bastante claro de “algo” que une duas ou mais pessoas em torno de um objetivo em comum. Se o jugo estava desigual, os bois não conseguiam atingir o objetivo de fazer o carro de boi andar corretamente, além de sofrerem muito.

Significado real do texto

Para o significado real do texto, precisamos ainda avaliar as palavras citadas por Paulo para apontar esse tipo de união: sociedade, comunhão, harmonia, união e ligação.
A palavra sociedade, traduzida do grego, significa partilhar, participar. A palavra comunhão, traduzida do grego, significa ter uma relação de intimidade, de comunhão intima com alguém. A palavra harmonia, traduzida do grego, significa concordância, acordo. A palavra união, traduzida do grego, significa uma parte designada, traduzida em algumas versões bíblicas em português como “em comum”. A palavra ligação, também traduzida do grego, significa aprovação, assentimento, acordo.

Colocados os significados das expressões, podemos entender que Paulo está falando nesses versículos de uma união de pensamentos e propósitos nas relações entre crentes e incrédulos.

Uma união de intimidade que os faz andar nos mesmos propósitos. Propósitos, é claro, conflitantes com a sã doutrina (jugo desigual) e, por isso, veementemente rejeitados por Deus.

Pensa-se que Paulo não está proibindo aqui todo tipo de relacionamento com incrédulos, caso contrário, seria impossível realizar a obra de evangelização ordenada por Jesus e até viver nesse mundo.

O que está em foco aqui é uma união de propósitos que não combinarão nunca devido suas diferenças claras. Note as perguntas de Paulo que expõe o contraste claro desse tipo de união de propósitos:
Que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade?
Que comunhão, da luz com as trevas?
Que harmonia, entre Cristo e o Maligno?
Que união, do crente com o incrédulo?
Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos?

2 Coríntios 6:14-16;

14 – Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?
15 –  E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?
16 - E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.

Assim, o crente deve ser sábio para avaliar que tipo de “sociedade”, “comunhão”, “harmonia”, “união” e “ligação” assume com alguém descrente, pois podem ser prejudiciais à sua vida de cristão e estar em desacordo com a vontade de Deus. Lembrando que Paulo traz a ideia de que o crente é santuário de Deus, ou seja, Deus habita nele. No Antigo Testamento, quando o templo ainda existia, muitas vezes o povo de Deus trouxe coisas impuras para dentro do tempo, contaminando-o e provocando a ira de Deus e grande calamidade sobre si. O crente em Jesus, sendo santuário de Deus, não pode imitar esse mau costume prejudicial.

Para finalizar, é interessante notar que Paulo não nos deixou nenhuma lista para exemplificar que tipos de uniões estariam incluídas em sua proibição. Eu também não vou ousar deixar nenhuma lista. Creio que cada um deve avaliar caso a caso para tomar decisões acertadas sobre as relações de comunhão e intimidade que assume com descrentes, se estão ou não debaixo da bênção de Deus, se estão ou não em conformidade com a sã doutrina, se são ou não jugo desigual. A base para a tomada de decisão está clara na exposição de Paulo nas Escrituras Sagradas.

Glória a Deus, Amém Senhor. -
  NRS01012017
NOSLEN OLEBAR
Enviado por NOSLEN OLEBAR em 25/09/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras